(45) 3025-3222 / 3031-1915 / 3031-1869

Palavra do Presidente

Senhoras Advogadas,

Senhores Advogados,

 

O 11 de agosto não pode ser lembrado apenas como o “dia da pendura” ou o dia do “baile do rubi”. Vai muito além dessas festividades, aquela envolvendo os acadêmicos e acadêmicas de Direito, e esta as Advogadas e Advogados brasileiros.

 

11 de agosto é a data em que comemoramos o dia da nossa profissão, e a escolha de tal data se deu pelo fato de, em 11 de agosto de 1827, terem sido instituídas as primeiras faculdades de Direito do país, quais sejam: Faculdade de Direito do Largo de São Francisco, em São Paulo, e a Faculdade de Direito de Olinda, no Mosteiro de São Bento, no Varadouro em Olinda/PE.

 

Mas 11 de agosto é também o dia dos Estudantes, e aqui peço vênia para relembrar meus colegas da advocacia que todos nós somos – ou devemos ser – eternos estudantes. O jurista uruguaio Eduardo Juan Couture Etcheverry, autor da afamada obra “Os mandamentos do Advogado”, destacou como nosso primeiro mandamento o dever de nunca pararmos de estudar, e justificou tal obrigação com a seguinte orientação: “O direito se transforma constantemente. Se não segues seus passos, serás a cada dia um pouco menos advogado”.

 

A necessária atualização do conhecimento se dá, em especial, por conta da inflação legislativa que assola esse país, com mudanças significativas em nosso ordenamento jurídico, o que impõe a todo profissional da advocacia um aperfeiçoamento contínuo em busca do crescimento profissional.

 

O mercado de trabalho apresenta atualmente uma grande oferta de profissionais, muito maior do que a demanda existente, fato este que tornou o constante estudo do Direito não uma opção, mas sim uma necessidade, para poder proporcionar aos profissionais maiores chances em um mercado tão competitivo e seletivo, que somente irá admitir aqueles e aquelas que contem com todas as ferramentas e conhecimentos necessários para bem desempenhar seu mister.

 

Não importa o quanto conhecemos, sempre haverá muito a aprender. O Código de Ética da Ordem dos Advogados do Brasil, em seu art. 2º, § único, inciso III, impõe como dever a todos o empenho permanente no aperfeiçoamento pessoal e profissional. E tal dever não pode ser olvidado, sob pena de ferir o disposto no artigo 33 da Lei nº 8.906, de 4 de julho de 1994, além de todas as demais consequências resultantes da própria seleção que o mercado impõe aos prestadores de serviços.

 

E é com vistas a essa obrigatoriedade que a ESA – Escola Superior da Advocacia do Conselho Seccional do Paraná da Ordem dos Advogados do Brasil e a Subseção de Foz do Iguaçu continuam proporcionando diversas oportunidades de atualização aos profissionais da advocacia, com a realização de palestras, simpósios, cursos de extensão, presenciais e tele presenciais, nos mais diversos ramos do Direito, com o intuito de contribuir para o aprimoramento cultural da classe jurídica.

 

Para tanto a nossa subseção necessita da participação efetiva das advogadas e advogados inscritos nos eventos patrocinados pela ESA, sob pena de não mais podermos contar com todo o apoio que a Escola Superior da Advocacia sempre dirigiu aos profissionais inscritos na nossa região de atuação, em razão da ínfima presença nos eventos realizados.

 

Para finalizar minha manifestação nessa edição tão importante – que abarca o mês dos Advogados e Advogadas -, cito as belas e apropriadas palavras do filósofo, escritor e historiador norte-americano William James Durant, autor da obra Filosofia da Vida: “Aprendei cada dia mais alguma coisa. A educação não se resume à tarefa dum certo período – é uma felicidade da vida inteira, uma nobre intimidade com os grandes homens, uma calma excursão pelos reinos da beleza e do saber”.

 

Por Valter Cândido Domingos

Presidente  

Edição/Julho

 

Compartilhe:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram