(45) 3025-3222 / 3031-1915 / 3031-1869

Presidente da CAA-PR anuncia novidades para 2017

Na entrevista a seguir, o presidente Artur Piancastelli apresenta um panorama do primeiro ano de gestão da atual diretoria da Caixa de Assistência dos Advogados do Paraná e fala dos principais projetos da entidade para este ano.

Quais são as metas para 2017?

Podem esperar mais benefícios. Começamos o ano já com uma ótima novidade: nossa austeridade financeira permitiu-nos reajustar o valor dos benefícios estatutários entre 20 e 35%. Em breve, vamos inaugurar a Farmácia On-line, que levará medicamentos com preços reduzidos a todas as cidades do estado. Em março iniciaremos a interiorização dos Escritórios Compartilhados, nas maiores Subseções, com mais de 700 profissionais inscritos. O projeto Corrida Legal será levado a mais quatro cidades até o final do ano. E, na área da saúde, há um relevante projeto em desenvolvimento, inicialmente em Curitiba, que tenho convicção: será um grande sucesso, aguardem.

Como o senhor avalia o primeiro ano de gestão?

Os dez diretores trabalharam muito, houve muita dedicação. A autoavaliação não serve como medida, devemos ser avaliados por nossos colegas, mas a percepção que tive nos lugares onde estive e por muitos comentários que ouvi, é que acertamos muito mais do que erramos neste período.

Levar a Caixa para todos os cantos do Paraná é compromisso de campanha e assim temos feito. Chegamos às 47 Subseções do estado por meio de campanhas vacinais, de projetos, de novos convênios. Nossa principal meta era fazer com que 100% dos advogados paranaenses em dia com a anuidade utilizassem, mesmo que uma vez no ano, pelo menos um benefício, serviço ou produto da Caixa, e chegamos bem perto de alcançá-la.

Na área de saúde, que projetos podem ser destacados?

Quando assumimos, elegemos a saúde como foco principal. Isto porque 80% dos advogados paranaenses são profissionais liberais, ou seja, não possuem licença médica bem remunerada ou auxílio doença em valores razoáveis. Desta forma, quando ficam doentes, não geram receita, as despesas aumentam e boa parte deles sequer possui plano de saúde. Por conta disso, já em 2016, dobramos o número de vacinas do ano anterior, ampliamos a rede credenciada e aumentamos em 20% os subsídios para consultas médicas e de fisioterapia, o que fez com que muito mais colegas utilizassem estes benefícios.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram